domingo, novembro 2

Tão perto da vitória e nem o empate...


10 comentários
Ficha de JogoO Farense averbou nova derrota esta tarde na sua deslocação à Costa da Caparica, o que complica e muito as aspirações da equipa tendo em vista uma possível subida de divisão. Ivo Soares fez alinhar de ínicio Edinho, Bruno e Della Pasqua lá na frente regressando ao sistema táctico que implementou na equipa nos primeiros jogos aquando da sua chegada ao clube. Não se pode dizer que o Farense tenha realizado uma má exibição, mas falta-lhe ser consistente ao longo do jogo, tendo por isso conseguido períodos em que empurrou a equipa da casa para a sua defensiva, mas oscilou com desacerto a nível defensivo que até lhe poderia ter custado mais cedo um maior desnível no marcador.Foto de arquivo

O jogo iniciou-se numa toada de equilibrio, repartido e com poucas ocasiões de golo, isto apesar de a bola rondar ocasionalmente as balizas, no entanto com as defesas a sobreporem-se maioritariamente aos ataques. O Farense à passagem dos 20 minutos conseguiu ir tendo uma ligeira supremacia que culminou com o primeiro golo do encontro, da autoria de Zé Nascimento. A equipa dos Pescadores reagiu quase de imediato conseguindo empurrar o Farense para a sua defensiva. À beira do intervalo e na sequência de um livre a castigar uma falta de Rui Graça que viu o amarelo, Mário Jorge bateria inapelavelmente Costa que pouco poderia fazer. O resultado ao intervalo espelhava o equilíbrio que se tinha feito sentir nos primeiros 45 minutos.

O Farense veio para o período complementar com vontade de se adiantar de novo no marcador, tendo entrado ao ataque da baliza de Álvaro, Bruno atiraria mesmo de cabeça ao poste, mas tal euforia só duraria cerca de 5 minutos, altura em que foi a equipa da casa a adiantar-se no marcador por Wílson, um autêntico quebra-cabeças a quem a equipa da casa pode agradecer os 3 pontos da vitória. Seguiu-se um período de desnorte dos algarvios, a acusarem claramente o golo e em que Wílson isolado com a baliza à sua mercê rematou mal com o seu pé esquerdo desperdiçando o 3º golo dos Pescadores.

Ivo Soares, mexeu na equipa e fez entrar Everson para o lugar de Edinho. Com esta substituição o Farense organizou-se de novo e encostou a equipa da casa à sua defensiva, tendo chegado ao empate por Everson. Foi o melhor período do Farense, em que numa sucessão de cantos, o golo poderia ter aparecido e ter dado a vantagem aos jogadores da capital algarvia. O Farense tanto procurou o golo que já sobre a hora e aproveitando o balanceamento ofensivo dos algarvios, num contra-ataque, Tozé de cabeça daria a estucada final oferecendo a vitória à equipa da casa.

Ivo Soares vê a situação da sua equipa complicar-se, tanto mais que o técnico já fez vários "malabarismos" a nível de sistemas tácticos e de jogadores utilizados e os resultados tendem em não aparecer. Aguarda-se o regresso de Brasa à equipa, o jogador teve afastado praticamente desde o ínicio da época devido problemas de saúde, de forma a Ivo ter mais uma alternativa nos flancos. Quanto a Guash e Miranda terão de aguardar até Dezembro para poder representar o emblema algarvio.

Comments

10 comments to "Tão perto da vitória e nem o empate..."

Anónimo disse...
10:55 da tarde

Foi a primeira vez que tive a oportunidade de ver o Farense nesta época. Vi uma equipa muito inconsistente e com graves falhas em sectores determinantes como a defesa e o ataque. Não percebi a razão para deixar Bruno jogar os 90 minutos. Apesar da estatura, tem pouco poder de choque e ganhou poucas bolas de cabeça. A defesa tremia sempre que o nº 12 da Caparica pegava na bola. O segundo e o terceiro golos são falhas clamorosas da defesa farense.
Acho que há ali muito trabalho pela frente...
Gostei muito do nº 20 (Norberto) e não percebi a saída de D.Pásqua a dois minutos do intervalo!!!
Como comecei por referir, não tenho acompanhado a equipa esta época, por isso não sei se é sempre assim. De qualquer dos modos, faça-se justiça: apesar de nem sempre bem, o Farense foi a única equipa que quis ganhar o jogo. O Caparica limitou-se a fazer (bons) contra-ataques que deram resultado, mas para subir de divisão, o Farense tem que saber fazer melhor.

Luís

Anónimo disse...
12:30 da manhã

Vejo muitas criticas ao Portela...mas ao que sei o grande responsável pela constituição do mesmo é o Sr. Barão. Também se costumava gabar disso mas agora como as coisas estão, está muito calado, deixando as responsabilidades para outros.
O Ivo era o grande sonho..daí não haver criticas Sr.Barão? Esta equipa com outro tipo de liderança ainda teria muito para dar...

Ps: Os "Directores" não dão a cara também posso ser ANÓNIMO.

Anónimo disse...
10:54 da manhã

Não vale desmoralizar. Temos um bom grupo de jogadores e com o actual esquema de promoção o que interessa é estar enter os seis primeiros e fazer uma recta final primorosa!

Zé da Bola

Anónimo disse...
3:51 da tarde

Venha mas é o paco fortes treinar o nosso farense outra vez :D

Anónimo disse...
12:31 da manhã

Mas se chegarmos á recta final com 15 pontos de atraso de duas ou três equipas como vamos subir?? Pelo menos não descemos.

Anónimo disse...
7:48 da tarde

Na 2ª fase os pontos que as equipas tiverem na altura são divididos por 2 ,por isso mesmo que cheguemos com 15 pontos de desvantagem essa distância vai ser encurtada para metade.

Pedro Guimarães

Nuno disse...
12:49 da manhã

ya mas vai ficar proporcional porque os jogos tambem sao menos.

Anónimo disse...
3:50 da tarde

Se fosse igual na se fazia a divisão de pontos.

São 10 jogos,30 pontos em discussão,para uma diferença de 7,8 pontos como se falou aqui...

Pedro Guimarães

Ferreira disse...
5:20 da tarde

Os malabarismos tácticos do Ivo são muitos, mas o Luis Afonso joga sempre.
Lá está, é o jogador ftiche do IVO.
Para trás e prós lados é que joga bem.
Mai nada.

Nuno disse...
8:50 da tarde

isso nao tem logica pois assim ohá sempreclubes a ficarem beneficiados

 

Copyright 2009 All Rights Reserved Blog Leões de Faro optimizado para 1280 x 768 px